Pessach

O que é chamêts?

Antes de começarmos a falar de Pessach, é fundamental saber o que é um alimento denominado "Chamêts", já que durante os oito dias da festa, a lei judaica proíbe seu consumo ou possessão.

Chamêts é qualquer comida ou bebida feita à base de trigo, centeio, cevada, aveia ou espelta, ou de seus derivados, mesmo que em quantidade mínima, que é fermentado. A única exceção é a matsá, que é o pão não fermentado, pois foram tomadas precauções especiais para assá-la. Entretanto, mesmo matsot para as quais não foram tomados cuidados estritamente minuciosos (para evitar o início do processo de fermentação) serão consideradas chamêts.

Alimentos que durante o ano inteiro foram verificados, e se enquadram dentro das rigorosas leis da dieta judaica, cashrut, não são necessariamente também permitidos para Pêssach. Requerem preparação especial e só podem ser consumidos durante os oito dias da festa se contiverem em sua embalagem o selo "Casher para Pêssach" emitido por um rabino ortodoxo.

O que não é chamêts?

  • Carne, aves, peixe
  • Todas as frutas
  • Todos os vegetais. (O costume entre os Ashkenazim é não comer feijões, ervilhas, arroz, milho e sementes em Pessach, embora o seja permitido entre os Sefaradim.)
  • Produtos lácteos com apropriada supervisão Casher para Pessach.
  • Todos os alimentos embalados que tenham supervisão rabínica ortodoxa que seja válida para Pessach.

Bedicat: A busca do Chamêts

A busca do chamêts é feita à luz de uma vela.
Os membros da família percorrem aposento por aposento, onde quer que algum alimento possa ter sido "esquecido".

É um costume cabalístico colocar dez pedaços de pão bem embrulhados (para que não caia nenhum farelo) e espalhados pelos diversos ambientes, para serem achados e coletados durante a busca geral de chamêts. As crianças curtem muito este momento, percorrendo os quartos, sala e cozinha munidos com uma pena que serve para "varrer" o chamêts. Antes de procurar, a seguinte bênção é recitada:

"Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolám, Asher
Kideshánu Bemitsvotav Vetzivánu Al Biur Chamêts."

"Bendito és Tu, Senhor nosso D'us, Rei do Universo que nos santificou
com Seus mandamentos e nos ordenou remover o chamêts."

Ao concluir a busca e após ter-se recolhido qualquer chamêts que por acaso tenha sido encontrado, a seguinte declaração de anulação deve ser pronunciada:

"Todo fermento ou qualquer produto fermentado em meu poder que não vi ou removi, e de que não tenho consciência, seja considerado sem valor e sem dono como o pó da terra."

O chamêts encontrado durante a busca deve então ser embrulhado e colocado de lado, para ser queimado na manhã seguinte na sinagoga juntamente com o chamêts de outros membros de sua comunidade e que passaram pelo mesmo procedimento.

A lei proíbe o uso de qualquer chamêts que permaneça em propriedade judia durante Pessach, mesmo após o fim do feriado. A não ser que tenha sido transferido para um não-judeu. Tal transferência de chamêts, por meios legais, deve ter um contrato na forma da lei, que dê ao não-judeu posse total de todos os alimentos chamêts.

Os detalhes legais que envolvem esta transferência de propriedade são muitos, e apenas um rabino deve ser encarregado da sua execução.

Para evitar chamêts em seu poder durante Pessach, preencha o formulário "Procuração para a Venda de Chamêts" e envie-o em tempo hábil para que chegue nas mãos do rabino pelo menos dois dias antes de Pessach.

Veja mais matérias relacionadas:









 
 
Conheça nossas Linhas de Produtos: